Me Afino em Acordes Alterados
Zelia

Duncan
"Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual porque, sinceramente, sou diferente." (Clarice Lispector)
Sou como você me vê.
(...)Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante (...)
Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, Depende de quando e como você me vê passar.(...)" Clarice Lispector

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Sou uma Mulher Poeta feliz e realizada em todas as escolhas que fiz para minha vida e Começo essa nova semana de setembro Agradecendo e Honrando Publicamente a Oficial Academia Tijuquense de Letras/SC.

*

Pelo trabalho que vem realizando na Literatura Brasileira tanto dentro do Estado de Santa Catarina quanto em todo Brasil.
Em Santa Catarina e na Cidade de Tijucas, o trabalho da Academia se desenvolve entre Seus Acadêmicos se fazendo  presente através deles desde os trabalhos executados na sede da Academia, passando por todo trabalho literário que aconteça na Cidade de Tijucas, bem como nas Cidades vizinhas; assim todo Estado de Santa Catarina e nos Estados onde escolheu como Academia ter seus representantes Correspondentes, como Eu Catiaho Alc. por exemplo,  tenho a honra de Ser. Sempre desde o primeiro momento deixei e deixo todo tempo claro a minha forma de contribuição com o trabalho legal que posso prestar a Academia e a seus Membros através de meu Serviço Assessoria Editorial como Editora Jurídica, Editora Física e Organizadora Editorial, quando busco e possibilito custos  básicos e registro de obras e demais serviços que cabem a uma editoria. Além da alegria que tenho em divulgar por onde transito o trabalho da Academia e de seus Acadêmicos.  
Nesse momento sou grata por Receber a Comenda de São Sebastião que marca a Celebração desse Momento muito Importante da Academia.
Sou Grata aos Escritores que compõem a Diretoria :
Sra  Presidente: Marileide Lonzetti
Sr. Vice Presidente Tonni Lima
Sr. 1º Secretário William  Brenuvida
Sr. 1º Tesoureiro Leandro Serpa
Sr.2º Tesoureiro Beijamim Heidemann
Peço licença em especial para citar o Sr. Escritor Tonni Lima, pelo empenho e trabalho realizado em favor da Literatura Brasileira a partir de Tijucas: ontem, hoje e sempre. Pois é figura destacada no  trabalho para ampliar a Visibilidade da Oficial Academia de Tijuquense de Letras/SC, se mostrado presente e atuante desde o início das atividades literárias sem nunca permitir que a Academia Floresça e lance suas sementes apenas, na Cidade de Tijucas e no Estado de Santa Catarina, mas se dedica  que a Academia seja respeitada e tenha seu trabalho reconhecido por todo Brasil e também no exterior.
Mais um vez ressalto estar Grata e Honrada por fazer parte como Acadêmica Correspondente do ES e agora Especialmente por receber a Comenda de São Sebastião e por fazer parte.

 Catiaho Alc/Vila Velha/ES/2016

terça-feira, 6 de setembro de 2016

ObserVando e AbsorVendo concluo Eu gosto de olhar o MAR

Gosto sim pois nele não há dúvida, nem distorções.
Pois é soberano em sua força e claro em sua ação:
Mostra que Vem e a que Vem com suas ondas
Vai e se quiser, sem pedir licença  leva os incautos e descuidados.
Há lealdade entre os que Amam o Mar e entre o Mar e os que o Amam.
Há um respeito que gera uma convivência saudável.
Por isso ObserVando há quase dez anos eu digo, redigo e repetirei
Eu gosto de olhar o Mar AbsorVendo
 Seus Mudos e Sábios  ensinamentos.
Catiaho Alc.
terça feira,06 de setembro de 2016,10:22h

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

De Volta a Absorver o vento na face.

Depois da queda , confesso ter ficado com muitas manchar roxas pelo corpo
e com muitas dores, a cada dia que o cotovelo volta ao normal desinchando
e novamente deixando a ponta do osso novamente a vista, o que ficou machucado
por dentro nas nádegas, coxas, costa vão aparecendo e vamos cuidando, essa foi a
orientação medica, uma vez nada ter sido quebrado.
Vou ficar com medo até que os 60 dias de observação passe.
Nessa primeira semana de setembro fazem 30 dias e a contagem regressiva segue.
Na 2a feira eu voltei a fazer uma aula inteira de zumba e passei bastante mal depois
da aula e a noite. Porém devo prosseguir e para tal na 3a feira fiquei todo o dia deitada
de repouso.
Ontem 4a feira fiz teste andando de bicicleta, em um percurso pequeno, como não senti
nada nem depois e nem a noite  hoje pela manhã já fiz um percurso um pouco maior de
 30 minutos e para minha alegria hoje a noite recomeço a pratica de Yoga na mesma academia
que faço aula de Zumba.
É dessa forma que sigo agora Me Observando para voltar a levar minha vida corrida, agitada e
alegre de sempre.
Bom dia e Absorvamos o Melhor dele.
Catiaho Alc.
quinta-fera, 1 de setembro de 2016

domingo, 24 de julho de 2016

Coisas de uma gostosa manhã de domingo


Esperança
 é quando a gente
acorda e percebe que nada
além importa,
é só a gente
 e a nossa imensa vontade
de viver a vida só do
nosso jeito
pois a mundo ao redor
vai naturalmente
se  enquadrando.
Esperança é  isso
gostoso assim
de
Observar e Absorver.
Bjins
Catiaho Alc.




quinta-feira, 21 de julho de 2016

A Vida uma Selva É.



Pois nada fica sem preço
Nenhum ruído fica sem nome
Peça alguma fica fora ou
Longe do lugar

Enquanto a terra se move
O sol não para de brilhar
Ainda que não pareça
Seus raios não deixam de irradiar

Por isso a Poesia livre É
Solta e sem necessidade
De nenhuma explicação
Ao poeta cabe só a inspiração




Eu caminho pela vida
Vou juntando letras assim
Carrego comigo a Alegria
De todo tempo nova Poesia ver surgir

Mesmo que a Vida
Em selva se torne
Nada e ninguém há
Me minha Poesia definir

Catiaho Alc.
entre sonhos e delírios
21070161802

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Se o Céu envolto em Nuvens se mostrar


Não pira
Respira fundo
Encha os pulmões de ar
Pois não haverá como
Prever os acontecimentos
A seguir
Se o vento lá por cima
Empurrar com muita força
Então umas nuvens nas outras
Esbarrarão e o barulho
Será ouvido por toda parte
Bem como os fachos de luz
Ziguezagueando de um
Lado para o outro
Raios e Trovões
Porem o mesmo vento
pode apenas toca-las de leve
o tempo deverá abafar
E aos poucos as nuvens
escuras seguirão em frente
deixando o azul todo
ceu tomar
Portanto
Se Céu envolto
Em densas nuvens
Se mostrar
Respire fundo
Pois a vida
Ha sempre de
Continuar
E o Sol
Do Céu
Não vai
Se 
Retirar
Catiaho Alc.
sexta feira
08 de julho de 2016
08:22h

quinta-feira, 7 de julho de 2016

A Morte NÃO É um problema pra mim, a Vida muitas vezes: SIM.



A morte não é um problema pra mim isso desde que me entendo por gente e isso começou aos cinco anos de idade. Daí pra frente a Vida era um mistério sim.  Todos os dias a pequena que eu era, cismava como dizem os poetas. Eu tolinha  cismava que um dia entenderia porque as pessoas se desesperam tanto com a morte e vivem a vida que é mais longa, de forma incoerente e irresponsável.                       Era comum eu ficar ouvindo e olhando quando os adultos cuspiam falando com a gente criança e apontando o dedo como se entendêssemos diziam (gritavam) : - Um dia eu vou morrer e você vai sentir remorso, vivo essa vida por sua causa!
 Como assim? Pensava eu e uma vez dei de ombros... -O resultado? Apanhei como adulta. Mas meu sacudir de ombros apenas queria dizer :- Ué, se morrer, não vai saber o que acontecerá por aqui.
Nunca tive dessas coisas de ficar me achando culpada por questões que não sou eu quem controla: a Vida as vezes controlamos. A Concepção de um novo ser, sim controlamos, basta estar atento. Mas o Morrer? Realmente nunca perdi tempo pensando como seria minha vida quando alguém que eu amasse fosse embora de vez.  Ainda hoje minha política de vida, sim política, acharam mesmo que eu diria filosofia? Nunca.Pois bem, minha política de vida e fazer a minha parte. Ficar junto dos que amo enquanto permitem, pois nem sempre somos bem vindos ou bem queridos.
A vida deixou o corpo do meu irmão Rogério, na última semana. Homem valente. Trabalhador como nosso pai. Sabia ser sofisticado quando necessário. Trabalhava de terno e gravata se necessário fosse. Encarava um computador com elegância. Formou-se em eletrotécnica, era dos bons. Mas nem por isso deixava de bater uma laje, ser ajudante de pedreiro, pintor ou mesmo carroceiro durante os períodos de greve da companhia de limpeza que assolou SG/RJ. Ele bem cedo pegava seu carrinho de mão e lá ia defender seus trocados atendendo as madames que nervosas pagavam pra ter o lixo acumulado levado. Esse Moço bonito, era galante como ele só. Conquistador danado! Dono de uma lábia que poucos dominam tão bem. Porém cedo, ainda moleque não suportando o espancamento diário da mãe e irmãs; aprendeu o Moço a se Isolar,para também não apanhar; eu que já casada não fazia mais parte desse episódio. Mal sabia ele que o isolamento é o pior dos companheiros, pois quem o tem;  isolado se distância de si mesmo. Escrevi um texto que falo que 'Nasci sozinha'. Nasci mesmo, não tinha gente pra ajudar minha mãe a parir, mas eu tinha a mim mesma e dei um jeito de sair e cair na esteira. Durante meus cinquenta anos, apesar de gostar de solidão, procuro estar perto de gente gente estranha, gente conhecida e especialmente gente que amo e respeito. Contrário ao que vivo e sinto foi meu irmão que foi encontrado em casa, Sozinho e sem Vida. Ficou ali isolado, sem Vida por dias... um, dois, três, quatro... talvez mais não sei... A morte dele não era desejada, porém aconteceu, é fato. Você e eu também morreremos, porém a ideia dele ter ficado ali sem vida por dias e dias; isso me trás e trará sofrimento sempre... Enquanto esteve morando conosco por quase ou mais de um ano, eu acordava quase todas a noite para olhá-lo dormindo. Essa foto exposta é desse tempo...
Quarenta anos é pouco tempo pra se viver e  muito tempo para deixar algum ensinamento. 
A frase que cabe e que me vem à mente é" O ser humano pode viver sem sexo mas nunca sem afeto".
Todos nós cinco irmãos: quatro mulheres e mais um homem, cunhados e cunhadas, todos os sobrinhos e sobrinhas, todos fizemos a nossa parte. Cada um a seu tempo ficou a seu lado. 
Poucos não entendiam o drama que ele vivia. A maioria sentia na pele e no coração a incapacidade de ajuda-lo mais. Foi desse  tempo chamado presente, um Homem de Bem, com sua deficiência que a morte não vai atenuar. A quem ele agrediu e ofendeu, sua morte não vai amenizar. Aos que o achavam um fardo o alivio em fim chegou. Ahhh... Mas aos que ele fez bem não haverá conforto.
As mulheres que fez feliz na cama, essas serão secretamente suas viúvas, bem como filhos e filhas que nem chegou a saber serem seus; órfãos deixou. Aos amigos que fez por toda parte, dele jamais se esquecerão. Grande goleiro! (dirão). Pra nós família a realidade é cruel: nossos pais já partiram, eramos seis irmãos e agora somos apenas cinco, faltará pra sempre um pedaço de nós.
Optei por não me despedir dele em uma caixa, prefiro essa foto que foi de um tempo que sei ele conosco feliz foi.Por isso reafirmo com convicção que: A morte não é um problema pra mim.   " Não esperem que eu me desmanche em sofrimento e culpa, pois faço hoje consciente tudo pelos que amo em sinceridade e verdade. "Não me curvo a covardia e Jamais deixarei para  para Chorar ou Sofrer sobre o corpo sem vida dos que Amo. Sou Mulher assumidamente do Hoje (presente). Corei e sorriam comigo e por mim agora que posso ver,sentir e retribuir. Depois? Não."                                                                      Catia Helena de Oliveira                     sábado 21:22 de 15 de setembro de 2012





A Morte não é um problema pra mim, a Vida muitas as vezes; sim.

A morte não é um problema pra mim isso desde que me entendo por gente e isso começou aos cinco anos de idade. Daí pra frente a Vida era um mistério sim.  Todos os dias a pequena que eu era, cismava como dizem os poetas. É cismava que um dia entenderia porque as pessoas se desesperam tanto com a morte e vivem a vida que é mais longa, de forma incoerente e irresponsável.                       Era comum eu ficar ouvindo e olhando quando os adultos cuspiam falando com a gente criança e apontando o dedo como se entendêssemos diziam (gritavam) : - Um dia eu vou morrer e você vai sentir remorso, vivo essa vida por sua causa!
 Como assim? Pensava eu e uma vez dei de ombros... -O resultado? Apanhei como adulta. Mas meu sacudir de ombros apenas queria dizer :- Ué, se morrer, não vai saber o que acontecerá por aqui.
Nunca tive dessas coisas de ficar me achando culpada por questões que não sou eu quem controla: a Vida as vezes controlamos. A Concepção de um novo ser, sim controlamos, basta estar atento. Mas o Morrer? Realmente nunca perdi tempo pensando como seria minha vida quando alguém que eu amasse fosse embora de vez.  Ainda hoje minha política de vida, sim política, acharam mesmo que eu diria filosofia? Nunca.Pois bem, minha política de vida e fazer a minha parte. Ficar junto dos que amo enquanto permitem, pois nem sempre somos bem vindos ou bem queridos.
A vida deixou o corpo do meu irmão Rogério, na última semana. Homem valente. Trabalhador como nosso pai. Sabia ser sofisticado quando necessário. Trabalhava de terno e gravata se necessário fosse. Encarava um computador com elegância. Formou-se em eletrotécnica, era dos bons. Mas nem por isso deixava de bater uma laje, ser ajudante de pedreiro, pintor ou mesmo carroceiro durante os períodos de greve da companhia de limpeza que assolou SG/RJ. Ele bem cedo pegava seu carrinho de mão e lá ia defender seus trocados atendendo as madames que nervosas pagavam pra ter o lixo acumulado levado. Esse Moço bonito, era galante como ele só. Conquistador danado! Dono de uma lábia que poucos dominam tão bem. Porém cedo, ainda moleque não suportando o espancamento diário da mãe e irmãs; aprendeu o Moço a se Isolar,para também não apanhar; eu que já casada não fazia mais parte desse episódio. Mal sabia ele que o isolamento é o pior dos companheiros, pois quem o tem;  isolado se distância de si mesmo. Escrevi um texto que falo que 'Nasci sozinha'. Nasci mesmo, não tinha gente pra ajudar minha mãe a parir, mas eu tinha a mim mesma e dei um jeito de sair e cair na esteira. Durante meus cinquenta anos, apesar de gostar de solidão, procuro estar perto de gente gente estranha, gente conhecida e especialmente gente que amo e respeito. Contrário ao que vivo e sinto foi meu irmão que foi encontrado em casa, Sozinho e sem Vida. Ficou ali isolado, sem Vida por dias... um, dois, três, quatro... talvez mais não sei... A morte dele não era desejada, porém aconteceu, é fato. Você e eu também morreremos, porém a ideia dele ter ficado ali sem vida por dias e dias; isso me trás e trará sofrimento sempre... Enquanto esteve morando conosco por quase ou mais de um ano, eu acordava quase todas a noite para olhá-lo dormindo. Essa foto exposta é desse tempo...
Quarenta anos é pouco tempo pra se viver e  muito tempo para deixar algum ensinamento. 
A frase que cabe e que me vem à mente é" O ser humano pode viver sem sexo mas nunca sem afeto".
Todos nós cinco irmãos: quatro mulheres e mais um homem, cunhados e cunhadas, todos os sobrinhos e sobrinhas, todos fizemos a nossa parte. Cada um a seu tempo ficou a seu lado. 
Poucos não entendiam o drama que ele vivia. A maioria sentia na pele e no coração a incapacidade de ajuda-lo mais. Foi desse  tempo chamado presente, um Homem de Bem, com sua deficiência que a morte não vai atenuar. A quem ele agrediu e ofendeu, sua morte não vai amenizar. Aos que o achavam um fardo o alivio em fim chegou. Ahhh... Mas aos que ele fez bem não haverá conforto.
As mulheres que fez feliz na cama, essas serão secretamente suas viúvas, bem como filhos e filhas que nem chegou a saber serem seus; órfãos deixou. Aos amigos que fez por toda parte, dele jamais se esquecerão. Grande goleiro! (dirão). Pra nós família a realidade é cruel: nossos pais já partiram, eramos seis irmãos e agora somos apenas cinco, faltará pra sempre um pedaço de nós.
Optei por não me despedir dele em uma caixa, prefiro essa foto que foi de um tempo que sei ele conosco feliz foi.Por isso reafirmo com convicção que: A morte não é um problema pra mim.   " Não esperem que eu me desmanche em sofrimento e culpa, pois faço hoje consciente tudo pelos que amo em sinceridade e verdade. "Não me curvo a covardia e Jamais deixarei para  para Chorar ou Sofrer sobre o corpo sem vida dos que Amo. Sou Mulher assumidamente do Hoje (presente). Corei e sorriam comigo e por mim agora que posso ver, sentir e retribuir. Depois? Não."                                                                      Catia Helena de Oliveira                                    sábado 21:22 de 15 de setembro de 2012





sábado, 6 de novembro de 2010

Não choro de vespera (post 4)

Os passarem por aqui por essa sequência de posts sobre  CHORAR MEUS MORTOS, 
NÂO se enganem  achando que meu chorar, tem a ver com PESAR. 
Porque não tem.
Sou uma mulher desprovida  do que chamam de REMORSO. 
Faço sempre o que tiver que ser feito e pronto; até mesmo se preciso for, cortar na própria carne.
 Se erro, procuro uma forma de  pedir desculpas, e o faço de cara limpa... se o caso foi um ato errado meu, espero a vida me dar a oportunidade de FAZER O CERTO e faço.
Não tenho essas coisas tipo: tpm, estress, insônia, melancolia,  depressão ou crise de conscinência. Respeito quem tem. Mas as vezes, só as vezes confesso que queria ter,seria boa desculpa; mas não tenho. Quando me vêem ponderando, é sempre pra dar uma oportunidade ao outro;
 outro esse que pode ser você que me lê agora, porque não? 
Mas seguindo... é sempre uma oportunidade de dar ao outro tempo e argumento pra se entender.
Não através de mim, que não sou exemplo pra ninguém e desrespeito quem se acha  exemplo. 
Penso que só caminhei na vida, após me ver, me dói perceber muitos apontando direções a outros, porém nem se olham  de verdade.Lamento profundamente esse equívoco.
Meus mortos,  já foram meus vivos e sinto suas mortes, porque  a vida e a morte não dependem da ação humana, o desenvolver dela sim, depende de cada um. 
Convivi bem com uns, pouco com outros, mas o fato é que  passamos um pelo outro em algum momento.
Mas há uma coisa que não consigo:Chorar de véspera por quem supoe-se que ainda vai partir, mesmo que em coma como minha mae  ou meu pai ficaram, porque ambos passaram pelo coma.
Recebi uma informação vaga que meu  amado e querido amigo Olavo, esta em coma irreversível, fiz tudo que podia pra entrar em contato com alguém e saber emlhor o que acontece, não consegui. Então pra mim ele está como me disse que estaria: em transito, viajando.Vou esperar que volte,  se não voltar, vou me permitir crer que me esqueceu,sou uma mulher comum, direito dele.
Aos que supoem que vão partir, porque estão ainda conscientes, não vou chorar por eles, nem com eles.Vou sim afofar a cama, pegar sua mão, deixar que nossos olhares se encontrem  e descansem um no outro. Vou secar suas lágrimas até com meus cabelos, se necessario.
De meus olhos, quando em vida nessas condições, não verão uma única lágrima cair.
Mas chorarei sempre junto com todos os que passarem meu caminho, chorarei compartilhando suas dores e suas alegrias.
Permitirei que chorem comigo, deixando-me ser vista claramente como ser humano que sou.
Assim sigo sempre, ora chorando ora sorrindo, não é assim a vida? (ainda segue) Catiaho Reflexo d'Alma

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Choro minha mãe...(Post 3)

Choro minha mãe

 que também sem me chamar e mandar aprender,mas vivendo o dia a dia me mostrou como é ser mulher, esposa e mãe.Na verdade  mostrou como ser mãe, como ser esposa , mas ensinou muito mais a como não se deve ser.
Com ela, aprendi a manter uma casa limpa e arrumada, a passar uma camisa social,ensinou como manter uma família satisfeita, bem alimentada, bem cuidada.Com ela aprendi que mãe não tem direito a nada,nem tinha percebido que tinha assimilado isso, levei um susto em 2006, quando me dei conta.
Choro por não tê-la por perto hoje para conhecer a bisneta, em quem certamente se veria, não como era, mas sim como deveria e podia ter sido desde cedo, porque é uma menininha de atitude desde que saiu do ventre da mãe :atitude.
Tenho certeza que ela olharia Ana Clara, fechando a boca pra chupeta que teimam em enfiar em sua boca e diria :
é assim que deve ser, se ela pode eu posso também.
Mas não deu tempo. Vítima de um traumatismo craniano devido a um  acidente que nunca saberei de fato o que houve, o fato é esse acidente a levou de vez depois de uma semana em coma.Não sei, outro dia, falávamos eu e silvio; ele disse que não tenho o direito de dizer se minha mãe foi ou não feliz.Discordei. Alias discordo de todos sempre na primeira afirmativa, é um direito que me dou.             
Discordar primeiro; só depois reflectir.Refletindo enquanto digito esse texto, digo que ele tem razão no que diz. Pois minha mãe nunca foi uma mulher de atitude.Ela deixava a vida conduzi-la...6 filhos  com intervalo de 1 ano em cada, 3 abortos e só foi quando eu ja tinha meus 15 anos foi que um dia depois de apanhar a vida toda, olhou meu pai bem nos olhos e disse:Chega. De hoje em diante se me bater leva.           Ele acreditou, pois nunca mais tentou bater nela. Era o tempo, mas ja era tão tarde...Voltando a conversa com silvio, ele tem razão porque há pessoas que se permitem se felizes onde ninguém vê ou percebe.Como vou saber se por ela nunca ter sorrido, não era feliz? Ou se por nunca se ter permitido se divertir ou fazer algo irresponsável.   O fato é que ele tem razão: não tenho como saber, não mais. Sei que um dia lembrei que não tinha dado a mim, a oportunidade de tentar estar próxima a ela. Foi quando voltei a trabalhar fora e todo meu salário de professora de artes e educação religiosa dava integral a ela, para que pagasse seu isso. Procurei nesse tempo estar com ela, todos os dias. Pedir ou tentar pedir todos os colos que não tive na infância. Foi um otimo tempo, senti-me fazendo a coisa certa. Levá-la pra passear, fazíamos coisas  juntos, os netos forma netos e ela foi avo, sogra e mais que isso a mãe que puder ter.Assim um dia ela saiu escondido de mim, morava em outro bairro, foi pra Teresopolis, lá caiu e morreu 5 dias depois. Tive a oportunidade  de tira-la da pedra, vesti-la e arruma-la para o momento da despedida, cuidei das flores, refiz sua ultima maquiagem, coisa que nunca usara...mas nesse dia derradeiro usou... estive com ela até o momento da partida,aquele em é o ultimo que os olhos podem contemplar.Não chorei, fiquei firme para cuidar dos 5 que se derramavam diante a mãe que ja partia.
Choro por ela sim. Choro todos os dias, pois foi a partir dela que me tornei as duas mulheres que lutam em mim: a que não sou e que acham de devo ser e a que nasci pra ser.Certamente ela não aprovaria a que nasci pra ser, mas seria essa que eu faria questão  que aprendesse a respeitar e a conviver.
Choro e chorarei minha mãe sim. Choro todos dos dias sim.Mas chorarei tambem por não ter tido tempo para mostrar-lhe, vivendo, como é viver entre sonhos e delírios
Catiaho Reflexo d'Alma

Meu Livro Novo!Informações pelo email;catiaho@hotmail.com

Meu Livro Novo!Informações pelo email;catiaho@hotmail.com

reciprocidade

Você que vai, foi ou está no consultório
médico. Você que ri e chora tendo vez
que chora mais do que pode sorrir tem
mais é que vencer a força do tempo que
age sobre todas as coisas e se possível
transformar o imutável.
Um minuto de felicidade deverá ser
transformado ou entendido como uma
vida inteira de alegria e, se acaso o
pranto lhe chegar aos olhos, entenda-o
como chuva de verão que vem, molha um
pouco, eu sei, mas não perdura. Vem,
tempera a terra e vai embora.
Este momento em que você, ansiosa,
espera pelo diagnóstico do seu médico
não é pior do que um vento que sopra a
sua saia, desalinha os seus cabelos, beija o
seu rosto e segue em frente.
Não admita a ideia do sofrimento
antecipado ou, mesmo que doa à beça, não
sofra porque o hoje, mais cedo ou mais
tarde ficará no esquecimento do passado.
Ria, portanto, sofra se não morrer, mas não
chore porque a vida é bela e o mal não faz
sentido.

silvioafonso.

2209010